Reader Comments

Ausência De Saneamento Ameaça Abastecimento Após Transposição Do São Francisco

"Isabelly" (2018-06-20)

 |  Post Reply

clique aqui para informaçőes

Determinadas as últimas licitações para a realização das obras da transposição do rio São Francisco, redimensionados os prazos de conclusão, restabelecidas as metas e retomado o andamento, a obra avança inexoravelmente. Na contramão da construção, todavia, alguns obstáculos terão de ser superados pro aproveitamento dessa água - que de imediato está saindo cara. Quem está lá é que domina do que precisa", diz, apontando inexistência de influência da população nas políticas públicas destinadas à região.


O povo que mora pela localidade ribeirinha precisa ser apto de atuar em parceria pra preservação e participar das decisões. A população tem que se unificar pra conservar o sistema e só com educação ambiental é que isto vai acontecer". Através do Poções, as águas deverão seguir o leito do rio Paraíba, perenizando este rio intermitente, que nasce e deságua em solo paraibano e é um dos principais mananciais hídricos do Estado. Não obstante, o professor e pesquisador Augusto Silva Neto, que há mais de 30 anos procura o rio, reitera que todos os municípios próximos a ele lançam esgotos sem tratamento diretamente no leito.


Todos, sem exceção", garante. Ou seja: as águas do São Francisco, misturadas às do rio Paraíba, estariam contaminadas ao surgir à população paraibana. Segundo o analista do Ibama, Ronilson Paz, o abastecimento da Paraíba pelas águas da transposição do Rio São Francisco está condicionado à conclusão dos sistemas de esgotamento sanitário dos municípios relacionados à obra. Não adianta levar água de tão longínquo para ser contaminada por esgotos na Paraíba.


Esse é o superior desafio para os estados que receberão as águas", citou Ronilson Paz. O reservatório Poções recebe as águas do Paraíba depois que o rio passa por Monteiro, na Paraíba. Bem como recebe água de outros afluentes que passam por municípios vizinhos. Deste trecho, as águas do Rio Paraíba estão contaminadas pelos esgotos sanitários e pelo lixo de Monteiro, com seus 30. Se chegou até por clique aqui para informaçőes é por causa de se interessou a respeito do que escrevi nesse post, certo? Para saber mais infos sobre isto, recomendo um dos melhores web sites sobre isso este foco trata-se da referência principal no tópico, encontre clique aqui para informaçőes clique aqui para informaçőes. Caso necessite pode entrar em contato diretamente com eles na página de contato, telefone ou email e saber mais. 852 habitantes (Censo/IBGE 2010). A rede de esgoto, concluída em 1987, está obsoleta, faltam reparos e equipamentos.


Esgotos residenciais estão ligados diretamente ao canal pluvial. Canos subterrâneos apresentam vazamento e, pra coroar o desmazelo, um vazamento em um talude quebrado pela lagoa de estabilização joga litros de esgoto bruto por dia pra dentro do rio. É essa água que enche o açude Poções. Nos dias de hoje são 6.946 ligações de esgoto e a rede não suporta mais a busca da população.


No canal de esgotos pluviais, ainda que não chova há 2 anos, o esgoto continua escorrendo com grande vazão, carregado assim como de resíduos sólidos lançados na população. O esgoto verte até do solo da cidade, por intermédio de buracos pela tubulação antiga que leva o esgoto bruto da Estação Elevatória de Esgoto (EEE), pra Estação de tratamento. A estação elevatória é o destino desfecho da arrecadação da rede de esgoto da cidade, antes de ser conduzida para a estação de tratamento. Quando a bomba quebra, ou no momento em que a inteligência da estação elevatória chega ao limite, o que acontece com regularidade, todo o excedente vai direto para o Rio Paraíba. O rio carrega visivelmente detritos e bolhas de sabão.


  1. Família: Poaceae

  2. Cipó-timbó - Serjania lethalis St. Hil. (SAPINDACEAE)

  3. 3 x Pá correto

  4. Período desejado para começo da obra

  5. Amendoim - Arachis sp (LEGUMINOSAE)

O gerente da Fazenda Limão, às margens do Paraíba, Everaldo Bezerra, conta que seu filho, portador de deficiência mental, vive trancado dentro da moradia graças a dos riscos de contaminação e mau cheiro. O mau cheiro é vasto, as muriçocas (mosquitos) proliferam. A ocorrência é triste", lamenta. Há 3 anos, segundo um integrante da corporação Livramento Construções, um rompimento em um dos taludes provoca o vazamento do esgoto que chega pela estação de tratamento. O lago de esgoto formado no solo mede em torno de dez metros quadrados e está na margem do rio clique aqui para informaçőesíba, misturando-se ao rio no momento em que ele enche um pouco mais.


Entre matos e carcaças de animais falecidos, a estação, montada em 2010, está inacabada por puro descaso do poder público. A construtora (Livramento Construções) não terminou a obra já que o governo estadual não pagou", comentou o integrante da construtora. Normalmente acontece a partir da encanação. Você compra uma residência em um bairro que não tem esgoto. O correto é que se faça uma fossa.


Entretanto o construtor aconselha uma instalação no canal de água pluvial", relatou a engenheiro da Cagepa Ronaldo Menezes. A prefeitura limita-se a falar que vai fazer um levantamento pra distinguir os moradores que burlam a lei. Os canais pluviais lançam o esgoto no Rio Paraíba, que abastece a Barragem de Acauã, de onde sairá o ramal da transposição do rio São Francisco Acauã-Araçagi. Seguindo o curso do rio Paraíba em direção ao litoral a paisagem muda, a vegetação ganha cores mais verdes, numa mudança da caatinga para a Mata Atlântica, as árvores ficam mais robustas e até o ar, mais refrescante.


Porém o assunto de esgotamento sanitário é o mesmo. No município de Itabaiana, na Paraíba, (vinte e quatro.483 habitantes, Censo 2010/IBGE) não há sistema de esgoto; a Cagepa faz apenas o abastecimento de água. O afluente canalizado do Paraíba, o 13 de Maio, que elimina o centro do município, está inteiramente tomado de lixo. E nas margens do rio Paraíba, incontáveis casebres foram instalados com esgotos caindo diretamente no leito do rio.



Add comment



Partnerzy platformy czasopism