Reader Comments

Qual A Diferença Entre DAS, NAS E SAS?

"Paulo Guilherme" (2018-06-16)

 |  Post Reply

Qual a diferença entre DAS, NAS e SAS? Quando se fala em armazenamento, a primeira coisa que se pensa são nos HDs (Hard Drives ou discos severos).clique neste link aqui agora Contudo exitem várias formas de se conectar um HD a um servidor, vamos enxergar desse modo cada uma delas. Vamos começar pela mais fácil: conexão direta. Eu quase neste momento tinha me esquecido, pra criar este artigo esse postagem com você eu me inspirei por esse website Navegue para este outro artigo, por lá você podes localizar mais informações importantes a esse artigo. No DAS (Direct Attached Storage) temos os discos conectados diretamente ao servidor. Existem numerosas maneiras de conexão, como SAS, SATA (e suas variantes M.2, SATA Express, etc). Porém no caso dos DAS é quando estes discos (não importa qual a conexão) são conectados diretamente no servidor.


Repare que a placa controladora de discos do servidor pode ter recursos de agregamento de disco (RAID) ou não, poderá permitir a retirada dos discos com a máquina ligada (hot-swappable) ou não. Tudo isto não faz diferença. Desde que o disco esteja ligado diretamente no servidor, é DAS. No SAS (Storage Area Network) temos no servidor uma placa e um sistema operacional que suporta o uso de discos que estão em rede. Neste caso os discos (de novo, não importa se SATA, SAS, etc.) ficam em um material externo, que se preocupa em conservar e controlar estes discos.


Os servidores ficam separados, e entre esses servidores e o instrumento com os discos, existe uma rede. Neste caso dessa maneira o sistema operacional "finge" que tem os discos e, Navegue para este outro artigo as aplicações que estão rodando nele, é como se os discos estivessem de fato conectados diretamente nele. Pros programas e serviços rodando no servidor, é como se os discos SAS fossem DAS.


Porém repare que por este caso é importante que a rede entre os servidores e o objeto com os discos seja muito rápida. Essa rede pode ser uma rede especializada, como Fiber Channel, ou mesmo uma rede Ethernet convencional. Não vamos neste local entrar em fatos sobre isto estas opções (na realidade, existe quase que uma conversa religiosa entre quais a melhor escolha para essa conexão), apenas é primordial saber que essa rede tem que ser muito rápida e com altíssima técnica.


Atualmente é comum velocidades de 10Gbps a 40Gbps nessas conexões. O essencial é você saber que existe, entre os servidores e os instrumentos com os discos (podemos ter inmensuráveis materiais de cada lado) temos um switch (Fiber Channel ou Gigabit Ethernet, normalmente com 100% das conexões em fibra ótica). Neste casos o servidor pode ter assim como um (ou mais de um) disco DAS pra boot do sistema operacional e pra rodar muitas aplicações.


É possível assim como fazer o boot do servidor rodovia os discos SAS, deixando o servidor inteiramente sem disco, todavia por diversas razões (como praticidade e facilidade de instalação) não é sempre que isto acontece. Entre o servidor e o equipamento com os discos há um protocolo de intercomunicação (além do Ethernet ou Fiber Channel). Existem várias opções, entretanto os nomes mais comuns que você vai escutar são iSCSI, AoE (ATA over Ethernet), Internet Fibre Channel Protocol (iFCP), só para apresentar alguns. Não importa a sopa de letrinhas, o considerável é você saber que nestes casos existe uma separação entre o servidor e os discos.


No caso do NAS (Network Attached Storage), é qualquer coisa muito similar com o SAS, só que rede entre os servidores e os instrumentos com os discos não é tão especializada e os protocolos não são tão complexos. Por esse caso o material na rede com os discos (muitas vezes conhecido como NAS assim como, Network Attached Server) é conectado a uma rede mais descomplicado, normalmente apenas Gigabit Ethernet e não necessariamente a começar por fibra ótica. Nesses casos o protocolo entre o servidor e o NAS poderá ser iSCSI ou qualquer coisa equivalente ao SAS, porém é mais comum que sejam protocolos mais claro como o SMB, Samba ou protocolos de compartilhamento.


No geral uma rede NAS ou SAS tem a mesma topologia, no entanto as redes SAS são mais caras contudo bem mais rápidas. Para aplicações de arquivos ou backup em rede (onde a performance não é primordial e o gasto tem que ser mantido nanico) se utiliza normalmente redes NAS. De imediato pra aplicações de banco de fatos ou de data-center, normalmente o SAS é o mais utilizado.


  • Discos: Três
  • Unidade de disco enérgico de 500 GB 10.000 RPM 6G 3,cinco pol. - 2a unidade de disco severo
  • Pontuação atribuída pelo aplicativo
  • três - Limpe arquivos de backup do Service Pack

Já que utilizar SAS/NAS e não apenas DAS? Porque se ceder ao serviço (e gasto) de fazer uma rede de materiais de disco e não deixar todos eles diretamente conectados nos servidores (DAS)? A resposta é: para facilitar o gerenciamento, manutenção e expansão da prática de armazenamento. As informações são divisão respeitável da vida das empresas hoje. No momento em que a quantidade de detalhes armazenada passa a ser muito vasto o exercício do DAS se torna muito complicado. O exercício da NAS e SAS auxílio a separar o lado "servidor" do lado "armazenamento" a trás diversos proveitos em termos de gerenciamento, controle e permite uma rápida expansão ou modificação das necessidades de armazenamento.


Costumo dizer que há 2 tipos de notebooks para as pessoas que deseja trabalhar em um Home Studio. O primeiro é o laptop essencial, serve pra editar menores projetos. Imediatamente o segundo menciona-se a um laptop com um desempenho mais completo, não apenas para realizar mixagens assim como também para fazer exercício de muitos VSTs e VSTis. Qual o melhor notebook Navegue para este outro artigo um Home Studio essencial?


Não vou referir modelos, só configurações que considero interessantes. Pra um Home Studio básico: 4GB de memória RAM, 500GB de HD e uma placa de filme de 128MB é bastante. Com o HD não é necessário se preocupar tanto, pelo motivo de é possível adquirir HDs externos. O processador, uma das peças mais respeitáveis, indico o Intel sempre, pelo menos um I3, que está de agradável tamanho. Qual o melhor laptop para um Home Studio completo?


Por esse caso, temos de ter alguns cuidados para evitar perda de dinheiro, visto que não se precisa investir em cada laptop, pensando que obteremos bons resultados.clique aqui Se você pretende fazer grandes edições, mixagens complexas e exercício de diversos VSTs e VSTis, poderá dirigir-se preparando o bolso, no entanto em contrapartida você ficará equilibrado quanto ao desempenho da máquina. Para um Home Studio completo, você deve utilizar 8GB de memória RAM ou acima disso. Ainda que um HD de um Terabyte seja suficiente, pode ter certeza de que você terá de de HDs externos.


Não economize no processador, um Intel I7 é o importante. Não podemos nos esquecer da placa de filme, uma de 512MB está incrível. Como mencionei no início, existem dezenas de marcas e modelos, agora basta você escolher qual lhe agrada, seguindo, é claro, as configurações argumentadas no post. Deixe o seu comentário. Você utiliza notebook em seu Home Studio? Você localiza vantajoso ou desvantajoso usá-lo no Home Studio?



Add comment



Partnerzy platformy czasopism